ga(\'set\', \'userId\', {{USER_ID}}); // Defina o ID de usuário usando o user_id conectado.

Incubadora se prepara para Certificação Cerne 1

Publicado em
Evento contou com participação de incubadoras de todo o Brasil

A coordenadora da Incubadora de Empresas de Base Tecnológica (IEBT/CenTev), Natália Ferreira, participou de Workshop para preparação de certificação do Centro de Referência para Apoio a Novos Empreendimentos (CERNE) do nível de maturidade 1. O evento ocorreu entre os dias 16 e 17 de maio, e foi promovido pela Anprotec, em parceria com o Sebrae. Os participantes foram os gestores das incubadoras selecionadas na modalidade 2 do último edital do Centro de Referência para Apoio a Novos Empreendimentos (Cerne). O objetivo do encontro foi disponibilizar orientações e conteúdos para ampliar a probabilidade de certificação da incubadora selecionada no nível de maturidade Cerne 1. 32 incubadoras participaram do evento.

Para Natália Ferreira, o evento teve grande importância: “Este momento de alinhamento foi de suma importância para nós gestores, pois além de esclarecer sobre os aspectos de conformidades e não conformidades das práticas - chave do CERNE, também foi possível compreender todo o processo de certificação que será conduzido pelo Instituto Cristiano Becker. Outro aspecto importante foi a troca de experiências que houve entre os gestores possibilitando uma ampliação de conhecimentos e boas práticas.”

SOBRE O CERNE

O Centro de Referência para Apoio a Novos Empreendimentos (Cerne) é uma plataforma que visa promover a melhoria expressiva nos resultados das incubadoras de diferentes setores de atuação. Para isso, determina boas práticas a serem adotadas em diversos processos-chave, que estão associados a níveis de maturidade (Cerne 1, Cerne 2, Cerne 3 e Cerne 4). Cada nível de maturidade representa um passo da incubadora em direção à melhoria contínua.

CERNE 1

Neste primeiro nível, todos os sistemas implantados pelos processos-chave estão diretamente relacionados ao desenvolvimento dos empreendimentos. Nesse sentido, além de sistemas como qualificação, assessoria e seleção, foram incluídos aspectos relacionados à gestão da incubadora, os quais, por sua vez, mantêm uma relação muito estreita com o desenvolvimento dos empreendimentos, a exemplo da gestão financeira e a gestão da infraestrutura física e tecnológica. Ao atingir esse nível, a incubadora demonstra que tem capacidade para prospectar e selecionar boas ideais e transformá-las em negócios inovadores bem sucedidos, sistemática e repetidamente.

Fonte: Anprotec